Vídeos

Loading...

terça-feira, 20 de outubro de 2009

Symtonya


Estagnado pela idéia de estabilidade,
Na qual penso eu que estou,
Foram inúmeros os dias que despencaram sem vaidade
Nem vejo o tempo que passou.
Procurei no meio de tanta luz
,Um pouco de escuro para me esconder,
As incertezas de minha rotina só faziam meu tempo se perder,
Mas entre os achados e perdidos,
não sei se me achou ou se achei você.
De mãos dadas por todos os detalhes,
Construímos doces lembranças para recordar,
Ao seu lado a vida é tão simples,
Não há vergonha da inocência,
Não há espaços para mentiras,
Já quase não temos segredos,
Há apenas a mais pura sintonia,
Seu sorriso carregado de espontaneidade
,Eu desejando que esse sonho seja realidade
,E que haja um final feliz para o nosso conto de fadas
Preso nas cinzas de nossos sonhos,
As asas de nossos destinos têm mostrado a sintonia em nossos desejos
Desejando alegria nesse meio difuso de vida e agonia,
E perdido nas ilusões de nossos mundos tão diferentes,
Provamos o quanto o impossível pode se demonstrar perfeitamente atingível.
Desejando alegria nesse meio difuso de vida e agonia
E te aguardando antes de dormir,
Tuas palavras como uma introdução para os meus sonhos,
Tenho descansado por todos esses dias,
Confortado pela sua maneira única de me afastar,
Desse meio difuso de vida e agonia.
Já sem consciência, transbordando de sono,
Deixo de lado meus pensamentos,
E organizo pelo chão cada um de meus sentimentos,
Já não tenho memórias sobre vida e agonia,
Pois entreguei cada um dos meus sentidos,
Rendendo-me a mais profunda harmonia,
Desta maravilhosa symtonya.

2 comentários:

Amauri disse...

esse é mara *-*

Felipe disse...

nem sei o que comentar, rs. Ainda bem que ama esse poema pri! Amo-te! ^^