Vídeos

Loading...

sábado, 30 de outubro de 2010

Desejos noturnos



Desejos enegrecidos insensatos
Pele com pele, vontade do tato
Atração infindável de contato
nem Sonho nem pesadelo, um fato
O suor entre repetitivos movimentos
a água entregue a um andarilho sedento
O sangue a escorrer, desejo brutal ostento
Mordidas e beijos, carinho violento
O sangue e suor escorrendo pelo corpo
A sensação de estar vivo mesmo estando morto
A macabra cena daquele mórbido coito
A vampira com o lobo sob o luar
A vampira com o lobo não para de gritar
A vampira com o lobo sempre a uivar

By:Douglas Canalli s2

Poesia inacabada

*apenas um poeta sem idéias
falta de palavras nada a mente
Não existe
Em vasta imaginação
procuro na solidão
um pouco de inspiração
Com a mente vazia
O desejo ardia
Mas eu nada fazia
Tanto no que pensar
Nada a ganhar
exceto o prazer de rimar
As horas vão passando
Eu ainda pensando
O sol está nascendo
E eu adormecendo
Frustração continuada
Apenas uma noite parada
Sem conseguir pensar em nada
De súbito a idéia aparece
O cansaço o consome enfim
O poeta falece
antes de chegar ao fim

By:Douglas Canalli s2